Cidade de Vassouras

1

Coleção Primavera/Verão - 2009 - Gelsomina - Siena - Itália


.......

150

150

sábado, 31 de outubro de 2009

Saudade... gota de chuva batendo no telhado sem parar.

Saudade... brilho de estrela solitária no céu.
Saudade... ausência de Sua presença.
Saudade... perda do tempo sem você juntinho.
Saudade... brilho vazio no olhar tristonho.
Saudade... vontade de te ver.
Saudade... vontade de te ter.
Saudade... vontade de você.
Saudade... querer te alcançar.
Saudade... tão perto e tão longe de você.
Saudade... um vazio de você.
Saudade... querer e não poder te ter.
Saudade... tarde cinzenta de chuva e frio,
esperando o sol... VOCÊ.

Venha e retire essa saudade de meu peito.

Ailton Carlos

Beijosss

Fatinha

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

"Sei rientrato di nuovo nella mia vita..
ma non sei uscito mai dai miei pensieri...
adesso però aiutami ad entrare nel tuo cuore"
.
Bacio
Fatinha

Até Terça-feira...

“Há quem passe e deixe só cicatrizes,
Há quem passe semeando flores.
Há quem passe banhando-nos em lágrimas,
Há quem passe disposto a secá-las.
Há quem passe torcendo por nossa vitória,
Há quem passe aplaudindo nossos fracassos.
Há quem passe ajudando-nos a levantar,
Há quem passe fazendo-nos cair.
Há quem passe como sombra,
Há quem passe como luz.
Há quem passe como pedra no caminho,
Há quem passe como pedra de construção.
Há quem para todo todo deslize veja uma falha
irreparável,
Há quem nos ofereça o perdão.
Há quem ignore nossos erros,
Há quem nos ajude a corrigir.
Há quem passe rápido, veloz, despercebido,
Há quem deixe marcas profundas.
Há quem simplesmente passe,
Há quem fique para sempre no coração.
Há quem passe pela vida,
Mas, há quem não deixe a vida passar
Sem um gesto de carinho,
Sem o AMOR ofertar!”

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Quando ti chiedi cos'è l'amore,

immagina due mani ardenti

che si incontrano,

due sguardi perduti l'uno nell'altro,

due cuori che tremano

di fronte all'immensità di un sentimento

e poche parole

per rendere

eterno un istante.

(Alan Douar)

Bacio

Fatinha



Com Açúcar, Com Afeto
Composição: Chico Buarque

Com açúcar, com afeto, fiz seu doce predileto
Pra você parar em casa, qual o quê
Com seu terno mais bonito, você sai, não acredito
Quando diz que não se atrasa
Você diz que é um operário, sai em busca do salário
Pra poder me sustentar, qual o quê
No caminho da oficina, há um bar em cada esquina
Pra você comemorar, sei lá o quê
Sei que alguém vai sentar junto, você vai puxar assunto
Discutindo futebol
E ficar olhando as saias de quem vive pelas praias
Coloridas pelo sol
Vem a noite e mais um copo, sei que alegre ma non troppo
Você vai querer cantar
Na caixinha um novo amigo vai bater um samba antigo
Pra você rememorar
Quando a noite enfim lhe cansa, você vem feito criança
Pra chorar o meu perdão, qual o quê
Diz pra eu não ficar sentida, diz que vai mudar de vida
Pra agradar meu coração
E ao lhe ver assim cansado, maltrapilho e maltratado
Ainda quis me aborrecer, qual o quê
Logo vou esquentar seu prato, dou um beijo em seu retrato
E abro os meus braços pra você.
.
Não resisti a essa pérola da
nossa música.
Linda... linda....
Beijoss
Fatinha

“Nem os
dias longos me separam da tua imagem.
Abro-a no espelho de um céu monótono, ou
deixo que a tarde a prolongue no tédio dos horizontes.

O perfil cinzento da montanha,
para norte, e a linha azul do mar, a sul,
dão-lhe a moldura cujo centro se esvazia
quando, ao dizer o teu nome, a realidade do
som apaga a ilusão de um rosto.

Então, desejo
o silêncio para que dele possas renascer, sombra,

e dessa presença possa abstrair a tua memória.”

Nuno Júdice

Beijos!

Fatinha




.
Tudo é Ilusão
Composição: Aníbal Silva / Eden Silva / Tufy Lauar

Não
Não foi surpresa para mim
Porque
Tudo na vida tem fim
Eu esperei com resignação
O triste dia da separação

Vai, meu amor siga o teu destino
Que eu seguirei o meu
Seja feliz, adeus (2x)

Nada dura eternamente
Tudo na vida é ilusão
Eu sabia que, mais cedo ou mais tarde,
Chegaria o dia da separação

Não
Não foi surpresa para mim
Por que
Tudo na vida tem fim
Eu esperei com resignação
O triste dia da separação

Vai, meu amor siga o teu destino
Que eu seguirei o meu
Seja feliz, adeus (2x)
.

Para quem gosta de samba

esse vídeo é tudo de bom...
Vale a pena ouvir.
Tenho muito da Tereza Cristina...
.
Beijosss
Fatinha

terça-feira, 27 de outubro de 2009


"Spesso non si può descrivere
cos'è l'amore tra due persone...
Sono come....
due gocce d'acqua
che si uniscono e diventano una....
lo fanno senza rumore
dolcemente
brillando...
si avvicinano
si toccano
si fondono tra loro...
non si potrà mai piu' separarle
perchè in una rimarrà sempre
qualcosa dell'altra...
sono un unica anima."

.

Bacio!

Fatinha

segunda-feira, 26 de outubro de 2009



.
Beijosss
Fatinha

Não toque em mim

De onde surgiu o tom maravilhoso e incrível, todo em variadas cores de minhas asas?

Tenho em meu cabelo, unhas e asa uma proteína chamada quitina que me protege e acalenta.

Eu sou esplêndida e vim para disseminar frescor, leveza, brilho e belezas ornamentais.

Eu sou um animal pequeníssimo com camadas finas desta proteína, que reveste minhas asas nas mais diversas funções em diferentes espécies de minhas colegas-irmãs.

Não toque em minhas asas jamais!

Posso morrer certamente.

Mantenham estas suas mãos e dedos atrevidos longe de mim. Necessito destas camadas mínimas para promoverem a absorção de calor, proteção conta insetos outros; também para favorecerem o contato entre minhas asas e a corrente de ar nos meus belíssimos e sinuosos vôos.

O ato de voar é arte, graça divina, para o alegre êxtase de vocês humanos.

Meu sangue é frio, daí a necessidade de fontes externas de calor, a fim de manter nível alto de temperatura, sem o que como seria a funcionalidade de meu corpo?

Predador-humano, você ao manusear estas camadas talvez me fira, machuque, quebre minha asa, se o toque for inconveniente ou inadequado.

Nossa vulnerabilidade, fragilidade, leveza estão expostas a inúmeros perigos de destruição em quaisquer segundos ao vagarmos a esmo entre as florinhas de um jardim.

Como seres dotados de esplendor e arte no borboleteio arquitetônico de magníficas e belas ondulações, criamos encantos mil.

Com estes prodígios mirabolantes, permitimos ao espectador comum ou a qualquer artista a oportunidade de expandir sua arte criativa, expô-la, sempre inspirada na simplicidade de um pousar sereno de nós, incógnitas borboletas.

Mote ao poeta, modelo ao pintor.

Instrumento da mãe-natureza, para expressão do belo.

Eu sou ou não sou demais?

Não toque em mim!

Maria de Lourdes Liporoni Martins

.

Recebi de minha amiga virtual Dide Liporini, a autora.

Curtam o lindo texto.

Beijos!

Fatinha

Inicie sua semana curtindo
esse som maravilhoso!
Beijossss
Fatinha

domingo, 25 de outubro de 2009

Eu não buscava um novo amor
Não pensei que isso acontecesse,
Mas meu coração me surpreendeu
E quando te vi o amor aconteceu...
O destino cruzou nossos caminhos,
Nos pôs frente a frente,
Reacendendo sombras esquecidas
Numa dança vadia que volta
A me invadir de alegria...
No toque dos dedos
Me solto no vento e
Te espero agora como quem
Espera a vida, o calor ou a brisa,
Te espero agora como o doce sonho
Que se realiza em um novo caso de amor...

(Sonia Schmorantz)

Boa semana!

Beijosss!

Fatinha

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Niver 2009


.
Bom fim de semana!
Até domingo!
Beijosss
Fatinha

quarta-feira, 21 de outubro de 2009


Hoje é dia do meu aniversário!

A cada dia percebo o quanto estar viva é um milagre.

Agradeço a Deus a minha vida,

a família maravilhosa,

em especial minha irmã,

Soninha que é minha amiga de todas as horas.

Agradeço a ela, meu presente de aniversário,

que é esta reunião que esta acontecendo

agora e os meus amigos por

existirem e me fazerem feliz.


Peço a ELE que me proteja

neste novo ano de vida.

Que eu seja feliz para poder fazer

os outros também muito felizes.

Desejo-me paz, alegrias, SAÚDE, AMOR

e a constante busca pela sabedoria,

para que eu me torne uma

pessoa melhor do que sou hoje.

Desejo-me serenidade, fé e perseverança na realização

de meus sonhos

e na maneira como lidar com as

adversidades do meu dia-a-dia.

Quando criança, não tinha festa de aniversário.

Cresci. Comecei a contar os dias para fazer 18 anos...

Depois dos 30 e poucos, esta espera ansiosa

simplesmente desapareceu.

O sentimento era querer que este

dia fosse pulado do calendário

Mas sempre gostei de comemorar meus aniversários.

Reunir as pessoas que amo, embora nem todas

possam estar presentes. Mas eu tento.

Agora não sei se acontece com todo mundo,

quando a data de meu aniversário vai se aproximando,

eu sinto uma melancolia de algo que não sei...

Sinto-me muito feliz por estar completando

mais um ano de vida! Estaria mais ainda

se estivesse completando meus 30 anos!!! Mas...

Por fim, agradeço minha vida aos meus queridos pais,

embora não estejam mais aqui, mas de onde estiverem

estão torcendo por mim, com certeza,

pois naturalmente sem eles, eu não seria

o que sou hoje.

E especialmente à minha querida mãe

que me deu a luz no dia 21 de outubro.


Querem comemorar comigo?

Já vou partir o bolo para vocês, mas antes disso,

faço questão de apagar todas as velinhas!

Feliz Aniversário para mim!

Amo vocês!

Beijos!

Fatinha

terça-feira, 20 de outubro de 2009

“É preciso ter saudades para saber.

Somente quem tem saudades entende os recados dos jardins. [...]

Saudade é a dor que se sente quando se percebe a distância que existe

entre o sonho e a realidade.

Mais do que isto: é compreender que a felicidade só voltará quando a realidade

for transformada pelo sonho, quando o sonho se transformar em realidade. [...]

Sonho com um jardim. Todos sonham com um jardim.

Em cada corpo, um Paraíso que espera..."

(Rubem Paiva)

Beijosss
Fatinha


Boas e bobas são as coisas que penso,

quando penso em você..

♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥

Beijossssss

Fatinha

Só mais um vez...


Queria apenas por um momento,
Poder apagar o passado,
Poder estar ao seu lado,
Para dizer que te amo.

Queria apenas por um instante,
Poder tocar a tua face,
Poder ter o teu amor,
Poder sonhar um pouco mais.

Queria apenas por um minuto,
Poder ser um daqueles silêncios,
Que quando menos se espera,
Surpreende de forma irreverente.

Queria apenas por um segundo,
Poder ser parte do teu pensamento,
Poder ser a cada instante,
Uma lembrança constante,
Que não se apaga mais.

Enfim, queria apenas uma chance,
Para ter um momento do teu amor,
Um minuto do teu silêncio, e...
Todos os segundos do teu pensamento!

(Desconheço o autor)

Beijosss

Fatinha

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Medo de Amar
O céu está parado, não conta nenhum segredo
A estrada está parada, não leva a nenhum lugar
A areia do tempo escorre de entre meus dedos
Ai que medo de amar!

O sol põe em relevo todas as coisas que não pensam
Entre elas e eu, que imenso abismo secular...
As pessoas passam, não ouvem os gritos do meu silêncio
Ai que medo de amar!

Uma homem me olha, em seu olhar há tanto enlevo
Tanta promessa de amor, tanto carinho para dar
Eu me ponho a soluçar por dentro, meu rosto está seco
Ai que medo de amar!

Dão-me uma rosa, aspiro fundo em seu recesso
E parto a cantar canções, sou uma patética jogral
Mas viver me dói tanto! e eu hesito, estremeço...
Ai que medo de amar!

E assim me encontro: entro em crepúsculo, entardeço
Sou como a última sombra se estendendo sobre o mar
Ah, amor, meu tormento!... como por ti padeço...
Ai que medo de amar!

Vinicius de Moraes

Beijosss!

Fatinha

domingo, 18 de outubro de 2009



Dia 21 de outubro
Quarta-feira é meu niver
Resolvi postar essa mensagem...


Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora. Tenho muito mais passado do que futuro.

Sinto-me como aquela menina que ganhou uma bacia de jabuticabas.
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Nos finais de semana, prefiro assistir bons filmes... sem essa de
programas de auditório achando que aquelas idiotices todas, são a
atração do momento.

Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados.

Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.

Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.

Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.

Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.

Lembrei-me agora de Mário de Andrade que afirmou:
As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos'.

Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa...
Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade.

Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade. Gente que desabrochou e floresceu para o lado de fora e não precisa mais dos espinhos para se proteger dos outros.

O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!